sábado, 28 de abril de 2012

Uma instigante "Revenge"!!!



Por Isaac Santos 

Acusado injustamente [ou, ao menos é o que é mostrado até o episódio que vi] pela morte de pessoas inocentes, tendo o seu nome relacionado ao terrorismo, o pai da protagonista Emily é condenado à prisão e lá morre [ou, ao menos é o que é mostrado até o episódio que vi], mas deixa uma fortuna em herança para a sua filha. Esta, depois de passar alguns anos num reformatório, volta ao convívio dos detratores do seu pai, para iniciar o seu plano de vingança.
Tramas sobre vingança não são nenhuma novidade na TV, no Teatro e nem no Cinema. Sem dúvida, um tema instigante e na maioria das vezes, bem recebido pelo público. Sempre recorrente por ser fator de sucesso “garantido”, principalmente nas novelas. Mas fugindo do universo novelístico, também as séries americanas têm merecido um olhar mais atencioso. Já há algum tempo, o meu irmão mais velho, tenta mudar o meu foco para o cinema/séries/seriados, pelos quais é apaixonado. Não que eu esteja traindo o gênero telenovela, mas tenho comprovado as boas intenções do meu irmão. Estou apaixonado [perdoem-me o exagero tão peculiar aos meus textos, rs] por várias pessoas ao mesmo tempo, pelos seus dilemas, conflitos, medos, suas ambições, suas fraquezas... tou envolvido por REVENGE. Detalhe: assisti aos cinco primeiros episódios de uma só vez e no dia seguinte, mais cinco. Já estou bem mais adiante e o meu interesse se mantém. 

Eu, como tantas outras pessoas, comecei a ver Revenge por curiosidade, pelas comparações com a trama do João Emanoel Carneiro. Constatei que há sim bastantes pontos semelhantes, mas nisto, coincidência ou não, não vejo problema algum. As diferenças também existem, principalmente na condução da trama. Não comentarei os episódios, considerando aquelas pessoas que porventura ainda não os tenham assistido e pretendam fazê-lo [Spoiler não trabalhamos, rs]. Mas super indico a série e essa postagem é só para congratular com os fãs de Revenge e que imagino, também foram fisgados pelo conjunto da obra.  

A trama é toda amarrada, se há brechas ainda não percebi. Texto adulto, direção irrepreensível, atuações dignas de nossos melhores atores [olha aí o meu proposital exagero mais uma vez... ou não?! rs], trilha sonora pontuando perfeitamente as emoções da trama, iluminação que torna tudo ainda mais envolvente. Eles conseguem harmonizar os recursos primários necessários ao sucesso de uma obra de teledramaturgia e as ferramentas tecnológicas, hoje tão indispensáveis às produções. Um bom exemplo é o chroma key (tela azul usada especialmente para a inserção de efeitos especiais/visuais) que não parece gritar o tempo todo “estou aqui nessa cena”. É natural.

Não há mocinhos ou vilões, heróis ou bandidos, os personagens são humanos, as emoções é que são intensas, e este é um trunfo da série. Mesmo com elementos fictícios, o texto se sobressai pelo tanto que é inteligentemente crível. A história consegue ser reflexiva até. As atitudes da personagem principal, que se alimenta de ódio, são absolutamente questionáveis. Ela não perdoa, quer vingança. Vale ressaltar que “não” há a quem perdoar, “não” existe arrependimento da outra parte. No máximo paira sobre eles um remorso. E mesmo se houvesse verdadeiro arrependimento pelos envolvidos, teria ela a capacidade de agir de modo diferente? Cabe, julgá-la por isso? O fato é que sem perceber, ou o que é pior, mesmo consciente disso, ela se transforma numa mulher sem limites pela busca de vingança. Um perfil sombrio, triste, amargurado, num plano infeliz, e sofre também por isto, pois não se permite viver o amor conflitante, que ainda insiste em expulsar o ódio de dentro de si.


Todo o elenco e profissionais responsáveis por Revenge estão de parabéns!

13 comentários:

  1. Gostei do texto, concordo com tudo, acho que é a melhor estreia da fall season 2011/2012. Trama bem amarrada, com capítulos de deixar a gente sem fôlego, já dizem que é a "novela da ABC" por conta da estrutura e dos arcos dramáticos. Só não gostei da sugestão da versão brasileira, acho que a trama é tão boa justamente por não ter as amarras das novelas, dos vícios televisivos do Brasil (e olha, eu adoro novela!).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Decidi considerar a tua observação, meu caro Willian, rs.

      Excluir
  2. Isaac, estou curiosíssimo para assistir "Revenge"! Só tenho lido coisas boas a respeito dessa série. E seu post me deixou com ainda mais água na boca!

    ResponderExcluir
  3. ai, Isaac, pelo amor...sem versões brasileiras herbert richers kkkkkk quero ver tb...agora que estou órfão do megaupload... não sei mas como baixar nada... mas as partes que vi eu gostei tb e essa atriz Emily VanCamp é muito boa...adoro ela desde Everwood. Até brothers and sisters , que achava o supra sumo da chatice eu via por causa dela...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. você também tá com a razão, Edu, rsrs... ah! assista mesmo, vale a pena!

      Excluir
  4. Temendo ser morto sob protestos, resolvi excluir a última parte da postagem referente a uma versão brasileira... quis brincar, mas acho que exagerei na salada de maionese, rs.

    Vocês tem razão, meninos!

    ResponderExcluir
  5. Vi três episódios de REVENGE e estou apaixonado. E como em mais uma história de vingança quero que a vingativa acabe com a cara de quem já a fez mal, estejam eles arrependidos ou com remorso, tendo que passar ou não por cima de uma galera "inocente". Não tem como não amar Amanda Clark ou Emily Thorne.
    Texto muito bom. Bem coerente. Não cheguei a ler sobre a pseudo-versão brasileira e nem tenho interesse, rs. Deixa como está. Não quero a Emily tendo que ser defendida por Grazi, por exemplo, rs. Ou vermos Revenge numa pegada classe C que estamos vivendo atualmente. Já pensou trocar HAMPTONS pela Lapa? MEDO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha... é por aí mesmo, Alvinho. Abração!

      Excluir
  6. Isaac, seu texto tá ótimo. Confesso que me surpreendi com Revenge. Acompanhar séries, assim como novelas é de certo cansativo pra mim. Depois de Lost me prometi não "viciar" em outra série. Mas Revenge não permite. Gosto muito da série, do elenco e da história. Confesso que a alta complexidade a que ela chegou na reta final me incomodou um pouco, porque a tendência é começarem a viajar na maionese, como fizeram com Lost. Porém, ainda assim, fico satisfeito. Mal posso esperar o retorno da série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai meu Deooooos, eu morro de medo que isso possa acontecer com Revenge, meu caro Denis... Torçamos para que nossa série preferida se mantenha num excelente nível de qualidade!

      Abração!

      Excluir
  7. Adorei revenge quando estreou, mas hoje em dia vejo para continuar, não estou gostando nem um pouco da segunda temporada que está bem divida em questão de aprovação ao contrário da primeira temporada que era dificil achar alguém que não tenha gostado, continuo vendo pq acho que pode melhorar. Em relação a trama de vingança, jogo de poder fico com a nova versão de Dallas que acho que está bem melhor.

    ResponderExcluir
  8. ótimo texto Isaac! Também quero assistir Revenge! Só acho que como o tema infidelidade(e outros) é usado a exaustão e até fio condutor de tramas,a vingança também é, então podemos acreditar na qualidade da série sim, sem ao menos citar comparações com outras tramas com enredo semelhante. Como vc bem ponderou um mesmo tema pode ser usado de maneiras diferente sem lembrar em nada outras que usaram o mesmo recurso.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...